OAB/MS: chapa de Rachel Magrini publica pesquisa sem registro e pode ser impugnada

No momento da publicação da pesquisa, não havia protocolo do levantamento na Comissão Eleitoral da OAB.

A chapa Mais OAB pedirá à comissão eleitoral da Seccional Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) a impugnação da candidatura de Rachel Magrini à presidência da instituição. O motivo é a divulgação de pesquisa sem registro, feita pelo Instituto de Pesquisas Resultado, e divulgada pelo site Campo Grande News. Pesquisa cujo resultado foi tornado público nesta terça-feira (19) não foi devidamente registrada na comissão eleitoral da OAB, condição vedada pela legislação eleitoral da OAB.

No momento da publicação pelo noticioso, não havia qualquer protocolo na comissão eleitoral da OAB. O pedido é para que a pesquisa seja retirada do ar, além da cassação da chapa. “Na última eleição, ela criou notícia dizendo que ganharia. Eram três candidatos, ela ficou em terceiro. Essas pesquisas são falsas”, diz Felipe Ramos Baseggio, do departamento jurídico da Chapa Mais OAB.

O que diz as pesquisas sérias? Na semana passada, os institutos Ipems e Ranking publicaram pesquisas devidamente registradas na OAB, ambas mostrando ampla vantagem de Bitto Pereira. Na pesquisa Ipems, Bitto aparece com 49,94% das intenções de voto, no cenário que leva os votos válidos em consideração. A segunda colocada, Rachel Magrini, aparece com 43,42 dos votos, e a advogada Giselle Marques, terceira colocada, tem 6,64% das intenções de voto.

O cenário de votos válidos exclui de sua apresentação os votos brancos, nulos e os indecisos, assim como ocorre nas apurações dos votos. No levantamento do Ranking, Bitto Pereira está com 51,85% das intenções de voto na disputa pela presidência da OAB-MS. Neste mesmo levantamento em que Bitto lidera, Rachel Magrini tem 43,85% das intenções de voto, e Giselle Marques, 4,30%. O cenário informa somente os votos válidos e utiliza o mesmo critério de totalização dos votos, que exclui brancos, nulos e eleitores indecisos.

A pesquisa é a mais abrangente feita até agora sobre a corrida eleitoral para a OAB-MS. Nela, foram entrevistados 800 advogados, entre os dias 4 e 7 de outubro, em 30 municípios. A margem de erro é de 4,5% e o intervalo de confiança é de 95%.

Veja mais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *